Biografia

O Cardeal François-Xavier Nguyên Van Thuân nasceu a 17 de Abril de 1928, em Phú Cam, na Arquidiocese de Huê, no Vietnam Central. Os seus pais foram Nguyên Van Am e Elizabeth Ngo Thi Hiep, filha de Ngo Dinh Kha. Foi o segundo de nove filhos: quatro irmãos e cinco irmãs.

O Cardeal pertenceu a uma família de raízes católicas, com numerosos mártires entre os seus membros. De facto, entre 1698 e 1885, os seus antepassados foram perseguidos por causa da Fé.

Na sua infância, Van Thuân recebeu uma educação profundamente cristã. Foi a sua mãe Elizabeth quem lhe transmitiu os preceitos de uma vida exemplar e santa. Todas as noites instruia-o sobre  passagens da Bíblia, narrava-lhe a vida dos mártires vietnamitas, em particular, a dos mártires da sua família, e contava-lhe a vida dos santos, em especial, de Santa Teresa do Menino Jesus. Ensinou-o a amar e a perdoar sempre a todos e, também, a amar a sua pátria, o Vietnam.

Aos treze anos de idade, entrou para Seminário Menor An Ninh de Huê e depois prosseguiu os seus estudos no Seminário Maior de Phú Xuân, também em Huê.

Foi ordenado sacerdote a 11 de Junho de 1953.

Depois da sua ordenação sacerdotal, desenvolveu o seu ministério pastoral em algumas paróquias de Huê. De seguida, foi enviado para Roma para estudar Direito Canónico na Pontifícia Universidade Urbiniana, de 1956 a 1959. Terminou os seus estudos defendendo a tese “Os Capelães militares segundo o Direito Canónico”, obtendo a classificação máxima (Summa cum Laude). Durante a sua estadia em Roma teve a oportunidade de participar numa audiência privada concedida por Pio XII, juntamente com o seu tio materno, Mons. Pierre Marie Ngo Dinh Thuc, Bispo de Vinh Long, Vietnam.

De regresso ao Vietnam, foi nomeado professor e depois Reitor do Seminário Menor Hoan Thien, de 1959 a 1967, e foi Vigário Geral da Arquidiocese de Huê de 1964 a 1967.

A 13 de Abril de 1967, Paulo VI nomeou-o primeiro Bispo Vietnamita de Nha Trang sucedendo, assim, ao Mons. Raymond Paul Piquet (M.E.P). A sua ordenação episcopal ocorreu a 24 de Junho de 1967, em Huê, e foi presidida pelo Mons. Angelo Palmas, Delegado Apostólico em Saigão (Ho Chi Min) para o Vietnam, Laos e Camboja. O lema que escolheu foi Gaudium et Spes (Alegria e esperança), título da Constituição Pastoral do Concílio Vaticano II.

A 10 de Julho de 1967 tomou posse como bispo de Nha Trang e, durante oito anos, empenhou-se no desenvolvimento da vida pastoral da Diocese, antes da chegada dos tempos difíceis.

O centro da sua actividade apostólica e pastoral consistiu na formação dos diocesanos: promoveu o aumento do número dos seminaristas do Seminário Maior, que de 42 passaram a 147, e do Seminário Menor, que de 200 passaram a 500. Organizou cursos de formação e de actualização para os sacerdotes das províncias do Vietnam Central, desenvolveu e formou os responsáveis dos movimentos juvenis, de leigos e dos conselhos pastorais paroquiais, através de uma colaboração eficaz com organismos eclesiásticos como “Justiça e Paz”, o Movimento dos Cursilhos de Cristandade, o Movimento dos Focolares e os Escuteiros. Fundou ainda as comunidades religiosas La Vang e Esperança.

Para fornecer uma orientação pastoral sólida para a Diocese de Nha Trang, publicou seis cartas pastorais:

  1. Vigiai e orai (1968)

  2. Despertar a Fé, avançar na Paz (1969)

  3. Justiça e Paz (1970)

  4. A missão de Cristo é a nossa missão (1971)

  5. Por ocasião do aniversário da fundação da Diocese de Nha Trang (1971)

  6. Ano Santo: renovação e reconciliação (1973).

Na Conferência Episcopal do Vietnam ocupou diversos cargos:

 

  • Presidente da Comissão Justiça e Paz, das Comunicações Sociais e do Desenvolvimento;
  • Director do Organismo COREV (Comissão para a Reconstrução do Vietnam), destinado a apoiar as pessoas que migravam das zonas de guerras para aquelas sob controlo nacionalista;
  • Membro fundador da Rádio Veritas, em Manila (Filipinas), e da Conferência dos Bispos da Ásia;
  • Participante nas reuniões da Federação das Conferências dos Bispos da Ásia (FABC);
  • Consultor do Pontifício Conselho para os Leigos, de 1971 a 1975;
  • Consultor da Congregação para a Evangelização dos Povos e, depois, membro da mesma Congregação;
  • Membro da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

.

Durante o período em que foi Consultor do Pontifício Conselho para os Leigos, Van Thuân teve ocasião de se encontrar, por diversas vezes, com o então Arcebispo de Cracóvia e, depois, Papa João Paulo II. Com ele aprofundou várias questões relacionadas com a vida dos cristãos sob o regime comunista na Polónia.

 

A História do Cardeal ao longo dos anos

De 1975 a 1987

A 23 de Abril de 1975, o Papa Paulo VI nomeou-o Coadjutor, com direito de sucessão, da Arquidiocese de Saigão (Ho Chi Minh), elevando-o ao título de Arcebispo titular de Vadesi. As autoridades comunistas de Saigão, contudo, não permitiram que permanecesse na cidade.
A 15 de Agosto de 1975, no dia da Solenidade da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria, foi detido pelas autoridades e levado para a prisão de Cay Vong, em Nha Trang. Posteriormente, foi transferido para o Norte do Vietnam, para uma prisão de alta segurança da cidade de Hanoi.
De seguida, foi mandado, juntamente com outros 250 prisioneiros, para o Campo de Reeducação de Vinh Quang, em Vinh Phu. Por fim, colocaram-no em prisão domiciliária em Giang Xa, na Província de Son Tay. Ao longo dos treze anos em que esteve encarcerado, de entre os quais nove em isolamento total, escreveu o seu testamento espiritual “O Caminho da Esperança”, para os fiéis vietnamitas do país e da diáspora.

O Cardeal Van Thuân faleceu a 16 de Setembro de 2002, na cidade de Roma.

Copyright © Dicastero per il Servizio dello Sviluppo Umano Integrale 2022. All Rights Reserved.